sábado, 18 de março de 2017

O dia do Mário.

Viva malta.
Com a sorte do meu lado, já era a altura certa dela passar para o meu amigo Mário.
Depois de muito trabalho a preparar um carro de carnaval, conciliar trabalho por turnos e o vicio da pesca, lá arranjamos tempo para matar o vicio.
Mais uma noite gelada onde a actividade era nula, quando já por minha obrigação, o Mário só pescava porque eu ensistia para aguentar, tinha-mos ido para um pesqueiro deserto, e espalhamos 6 canas bem iscadas, quando já fora de horas oiço um grito de desespero jooooaaoooo.
Dei um sprint e senti que era a hora dele, nem que tivesse que entrar na água, tanto como ele queria por o peixe cá fora.
Na escoa sem o Mário ver ainda dentro de água agarro-o pelos colarinhos e dou grito de satisfação, entrego o troféu ao meu amigo.

Quase a  bater os 5kg era o record dele.

Deixo agora aqui o nosso trabalho carnavalesco, muitas semanas de trabalho, mesmo sendo um carro pequeno, uma experiência nova para mim, ao qual aprendi muito.



Para terminar fica também umas fotos de capturas diferentes.

 Grelhada
Caldeirada
 Lanche
O petisco possivel no meio de tantos afazeres carnavalescos.
Boas fainas.

domingo, 12 de março de 2017

Dia Robaleiro

Boas malta, mais uma noite gelada, depois de uma madrugada dura...
Resumindo, num domingo à noite fui ás duas da manhã mandar umas pedradas, peixes esses que já postei aqui, onde apanhei 3 robalos acima de quilo, pois bem nesse dia nem dormi, fui direto para o trabalho, quando ao meio da manhã o Mário telefona-me a desafiar, para ir ao fim da tarde, tive mesmo para não fazer esta pesca, mas como ele tem uma carrinha com tração, iria-mos explorar um pesqueiro deserto, longe das praias aqui ao pé de casa, dizendo bem, com a leiteira que eu andava, era mesmo de aproveitar a boleia.
Estava de rastos, mas lá fui eu, antes de anoitecer já tinha as 3 canas de molho, num mar que parecia uma lagoa, coisa rara aqui até mesmo no verão.
Como já vinha com o ritmo da madrugada com 3 robalotes bem jeitosos, a sorte estava comigo, e iria continuar neste dia, passado meia hora já tinha em seco um belo robalo de 3kg e pouco.
 
 
A pesca fluía bem, e ia saindo uns peixes, no meio de umas bailas já jeitosas, apareceu mais um robalo de 1.4Kg...
 
 
Pescava com 2 anzois em duas canas e um noutra, quando o peixe só saia no anzol de cima da cana da esquerda, resolvi passar o anzol que trabalhava sozinho, para cima e com um estralho mais curto, e passar a despectiva cana para a esquerda, afastada do spot que estava e a coisa resultou, cá de longe vejo que a cana levou uma pancada seca e ficou bamba, fui nas calmas pois parecia um zombie de cansaço, e agarro-me a cana, vi logo que era mais um boca larga e com força, quem me dera trabalhar os sargos da pedra, numa praia destas, ahahahahhaha, um gajo afina o drag e põe o menino em seco com alguma calma, que eu nunca pensei em a ter quando ferra-se um bicho destes.
 
 
Um belo robalo de 5 kg
O Mário mais  uma vez não teve sorte, ás 11 da noite já estávamos na carrinha com um frio maluco de menos 3 graus como comprova a foto de baixo.
 
 
Arca composta com 3 bonitos robalos
 
 
Mais uma vez não há petisco aqui no post, ficam para completar fainas mais fracotas.
 

A cara não engana, estava mesmo de rastos.


 
Boas fainas malta
 
 
 
 


sábado, 4 de março de 2017

Pesca a última da hora

Mais um dia na saga da areia, Domingo gelado de Janeiro, onde a pesca esteve pendente até a última da hora, devido ao frio intenso que estava, depois de um lanche com Mário e respetiva família em V.N.de Mil Fontes, disse-lhe para ir-mos para casa jantar nas calmas e depois logo resolvia-mos se ia-mos fazer a maré a vazar, depois da meia noite.
Eram dez da noite e com a pouca vontade do Mário e o tinto do jantar a enrolar as pernas para o sofá, toca o telefone, o Mário a dizer "já estava a fazer os estralhos", eu fui logo fazer uns também,  pois era um dia raro onde nós os dois teríamos  a segunda feira de folga, à meia noite fomos então enfrentar a noite gelada, que iria ser dura.
Esticar as canas ora perto ora longe, às 2 da manhã nem um toque, nisto afasto-me das canas e vou dar uma ajuda ao Mário a desenlear um estralho, quando dou uma olhadela as minhas canas , reparo que só conseguia ver 2 star ligth em vez de 3, achei estranho e ao aproximar das canas, havia uma tombada para trás, tal devia ser a mocada que levou, ao recolher tinha o fio partido na união do chicote caseiro feito por mim, que peixão terá ido lá pensei eu…
Ainda fiz uns lançamentos com a cana do meio na tentativa de engatar o estralho, mas esse mesmo estralho foi-se engatar com o peixe na cana da esquerda, passado uns vinte minutos, já eu conformado com a tal mocada que nem vi, que história de pescador vem ai, ahahahah.


Quando fui ver as iscas, dei-me com peixe bom a dar luta, nunca imaginava que seria o estralho da outra cana, depois de uma boa luta o peixe mesmo com as ondas nunca mais chegava a seco, já tinha  a chumbada a bater na ponteira da cana, comecei a andar para trás, pois o peixe continuava a lutar, e do nada a onda meteu-o cá fora, quando liguei a luz nem acreditava mais uma vez, um senhor robalo com o estralho que me tinha roubado.


 Faltou 150g para os 5 kg de peixe, estava a noite gelada mais quente que nunca, até suava com temperaturas negativas.
 Pouca actividade era ai umas 4 da matina tenho outra boa mocada, e sai um robalo de 1.3kg mesmo daqueles bons para o petisco, o Mário continuava em branco e eu tenho outro peixe na linha, desta feita uma boa baila de 900g.
 
O robalão não cabia na caixa, tive que o tapar e sempre de olho nele, pois por aqui aparecem umas raposas manhosas.
Ás 6 da manhã o frio aperta e o Mário já gelado só la estava por causa de mim, com a ajuda de um tinto ainda aqueceu um bocado, eu frio nada, estava com um feeling normal de as coisas me estarem a correr bem, o meu carreto com 0.50 fez um novelo e troquei por um do spinning com multifilar para conseguir por a chumbada para lá das ondas, pois a maré já estava completamente vazia.Era o ultimo lançamento prometia eu ao Mário.
Comecei a arrumar as outras canas, quando Mário me diz , "olha a tua cana já tem lá peixe", eu nem liguei e disse-lhe ," isso é as ondas já lá vou", mas ela não parava de bater e tive que ir lá, pego na cana e sinto um belo peixe, brigão como o caraças, depois da respectiva luta, sai um sargalhão lindo com 2,150Kg, que peixe mais bonito, tinha finalmente alevantado a fasquia dos peixes que mais admiro neste mundo da pesca, o sargo legitimo.
 Considero este sargo, o peixe mais bonito e o melhor que apanhei na vida.
 


 
Mais um dia em que o Mário não teve sorte, pois ela estava do meu lado, ele pergunta para onde lanço, como isco, qual o estralho o fio do carreto,  e eu disse-lhe que um dia ia ser o contrário, pois eu sei como a pesca é, e a sorte é fundamental, pois somos grande amigos e pescamos da mesma maneira.
Sou  básico nesta pesca, e nunca penso que sou grande pescador, pois uns dias mais tarde a minha teoria confirmou-se, fui eu a xuxar no dedo, mas muito contente a tirar umas fotos e a ver o sorriso rasgado do meu amigo Mário, mas antes disso ele ainda sofreu mais uma noite , ahahahahahahahah.

 Que madrugada 2 peixes 7 kg, e record de ambas as espécies.
Desculpem, hoje não há petiscos nem paisagens.
Boas fainas amigos.