quinta-feira, 8 de fevereiro de 2024

Pesca Embarcada

 Olá pessoal.

No Inverno a pesca apeada é menos, devido a mares grandes constantes , pois tendo barco é altura para atacar, esses mares são pescáveis se o vento for pouco ou de feição para a zona que se escolhe, dedico muito tempo às lulas, mas este ano não foi bom para mim , não sei se aselhice minha se falta de sorte, mas na boca de muitos, apanham tantas lulas e eu poucas apanhei, todos nós sabemos que muitos pescadores perdem um peixe dizem logo que foi um sargo ai com 2 kg, quando sargos acima disso são dinossauros na pesca, mas que os há certamente há, pois já apanhei somente um.


Uma Manhã de Inverno ao romper o dia.

Sei que esta vertente de embarcada é uma pesca com pormenores bastante lineares, basta fundear mal, para não apanhar um peixe, agora esta ai uma nova maquina para isso, são as âncoras flutuantes, que trabalham a proa e fixam o barco onde se quer pescar, sem usar a tradicional âncora e cabo, claro que assim, fica mais fácil encontrar bons spots , num dia pode-se fazer dezenas de fundos e descobrir peixe, claro que esse motor é um investimento caro, mas que faz a diferença faz e muita.
Bem mas de vez em quando consigo apanhar uns peixes.


Umas boas douradas num dia de Inverno rijo, apareceram onde estava a pescar, boas lutas e uma média de peso das capturas muito acima do normal que estou habituado a apanhar.



O amigo Cristóvão veio até Sines para pescar a dourada, e o objetivo foi comprido apanhou douradas e passamos um belo dia de pesca no dia anterior tinha enchido a barriga de ondas na minha praia de miúdo, foi um fim de semana em cheio, não saiu de Sines sem comer uns sarguinhos fritos à posta e comer um bom arroz de tomate.


No Fim de semana seguinte foi a minha vez de ir ao quintal do Cristóvão apanhar umas ameijoas para o petisco.

E é tudo por agora, um post pequeno para entreter a malta nestes dias precisos de muito chuva.

quinta-feira, 4 de janeiro de 2024

Dias relaxantes

 Viva pessoal.

O bom do Outono e Do Inverno tirando as épocas festivas e fins de semanas grandes é o desaparecimento do ser humano dos cantinhos que todos nós temos junto ao mar, surfar sozinho hoje em dia é raro aqui por Sines, só mesmo se escolheres uma onda menos boa, que é o que eu faço quase sempre:) 

Vila Nova de Mil Fontes, sítio que tenho muito carinho, foi aqui que comprei a minha 1ª casa quando era mesmo um puto, boas surfadas no Porto das Barcas, uma direita longa e divertida, com uma remada gigante até ao pico, pesca nessa altura estava em segundo plano, era surf, surf , surf e mais surf.

Quem gosta de surf e conhece Mil Fontes, no verão só há um destino, Praia do Malhão, onde trabalhei a muitos anos como treinador de Surf e geria a Escolinha de Surf do Litoral Alentejano, a 1ª escola de surf de Portugal a trabalhar todos os dias do Ano do meu amigo Flávio, foram quase 10 Anos a trabalhar nas ondas.

Se não querem ondas, vamos a Praia Vasco da Gama, praia de Sines nome mais corrente aqui pelas minhas bandas, no Inverno para apanhar um bocadinho de sol é um espetáculo.

Antigamente o verão aqui era repleto de torneios de futebol, vólei e andebol de Praia, com 2 bares a dar vida e musica a Praia , tanto de dia como de noite, hoje em dia não se passa nada, não há bares nem desporto, mas há Obras e Fabricas ao pontapé.






Em termos de pesca, lá vai saindo uns peixe da bitola que gosto, nada de grandes quantidades mas alguma qualidade, nesta altura do Ano pesco mais de Barco, mas sempre que posso vou logo para a ilha ;)

Um dia destes dei com uma variedade de peixe bonita da bitola que tanto gosto, do meio quilo a quilo, as bicas foram as rainhas da jornada, nunca tinha apanhado tantas.



O quintal de 2 amigos marafados meus

Surfar ondecas sozinho como tanto gosto, pescar , passear nestes dias de sol e ter legumes da horta do vizinho frescos e saudáveis, o que posso pedir mais, mesmo nada.



Tirar satisfação do dia a dia é a prioridade hoje em dia da minha vida.


segunda-feira, 25 de dezembro de 2023

Bom Ano Novo

 Mais um Ano a terminar, e cada um que passa, deixa mais mazelas, a juntar a toxidade das noticias diárias que evadem as nossas vidas, via comunicação social e redes sociais,  não ajuda nada no nosso dia a dia, um motivo de voltar a escrever e publicar umas fotos, é de dar um bocadinho de descontração a quem vê e lê a minha vida... 

Com facilidade, no decorrer das minhas rotinas vou tirando umas fotos porreiras, uma praia que gosto de dar uns mergulhos no Algarve é em Santa Luzia , que se chama Terra Estreita.

Saltando para os dias mais frios e com mares maiores, pesco muito mais de barco, por vezes dou com uns peixes bons, mesmo aqui perto de Sines, não gosto de andar a navegar muitas milhas, essa é a verdade :) e procuro peixe mais perto.

Um dia destes, ao ferrar um belo peixe aos 50 metros, saiu-me um Pampu que teve que ir ao forno.


Quando está calor, nada como vestir o fato e ir pescar ilhado numa pedra pequena que conheço, essa pedra pede mares quase parados, para os sargos comerem aos pés nas fendas que conheço quando vou mariscar aos percebes, neste dia ainda caiu uma douradinha jeitosa e uns sargos pançudos.


Quando dá para brincar um bocadinho, não perco a oportunidade, praia da Falésia, Vila Moura.


Quando há muito sargo, faço caldeirada dos mesmos, gosto de acrescentar umas ameijoas brancas e umas gambas, acompanha com pão torrado para por no fundo do prato :)


Quem tem um vizinho com horta, poupa uns euros nos supermercados, as trocas saudáveis que fazemos, encaixam naquilo que procuro na minha alimentação, um luxo mesmo hoje em dia, estão a ver a caldeirada com estes ingredientes não é :)


Umas das pescas que fizeram apanhar os maiores peixes é a mesma que me dá mais chibatadas seguidas, não sou pescador de procurar grandes peixões, mas no surfcasting aposto nos robalos e excluo os restantes, infelizmente não tenho apanhado nada nas poucas vezes que vou, mas a tranquilidade e o cheiro destas pescas, não tem comparação com outras.




É tudo por hoje, e desejo Um bom Ano de 2024 a todos os amigos e seguidores do Blog.

sexta-feira, 3 de novembro de 2023

A culpa é do Lobo

 Viva pessoal.

À muito que não escrevia e como tudo na vida que para, começa a enferrujar ou simplesmente deixa de funcionar.

Não quis que o Blog para-se, mas muito honestamente deixei de ter vontade de fazer posts e até de tirar fotos as capturas que faço, mas vou novamente tentar que isto comesse a ter vida, e pelo menos entretém meia dúzia de bons amigos que fiz graças a este mesmo blog, nos dias frios de Inverno.

Depois de ver o Novo post do Lobo do Mar decidi hoje arrancar com isto, o Manel do Blog Fui à Pesca, quase conseguiu que mexe-se aqui , mas agora é que foi de vez, por causa do Pedro (Lobo do Mar)

Fiz uma mudança Radical na minha vida e também por isso ganhei mais vontade de vir partilhar umas fotos, pois terei mais tempo para o fazer.

Os sargos são os peixes que sempre gostei mais de pescar e são eles que foram a chave para eu mudar de vida, peixe que adoro e pesco com muita frequência.

Uma mais valia que tiro da pesca é alimentação e autossustentabilidade, tentando sempre estragar ou danificar o mínimo da natureza, no momento até a pontinha do fio que corto ao empatar um anzol, tento trazer para casa, claro que volta e meia há aquelas que saltam e perdem-se.

Umas lapas na chapa com molho de limão, alho e manteiga, abrem o apetite a qualquer um.

Quem me conhece, sabe que a minha segunda casa é em Faro, por vezes vou ao quintal do Lobo e do Mata Chibos roubar-lhes meia dúzia de coisas do mar que não tenho em Sines.

O mar esta tanto na minha vida, que em Sines vejo o Mar da janela e em Faro vejo o mesmo, mas com a Ria Formosa na sua beira... que sorte :)

Um dia quente de Verão, enquanto mariscava numa ilha, recebi a visita dos amigos que também fiz graças ao Blog , João , Muralhas e Belo... depois de eu fazer a minha maré, eles ficaram a apanhar peixe porco enquanto eu fui mais cedo para casa para os receber como deve de ser ( percebe, camarão e sargo frito) não sei se eles gostaram??? ahahaahah

Para relembrar, além da pesca tenho o surf, como o nome do Blog indica, no momento só faço softboard  (prancha de borracha)  devido ao excesso de surfistas hoje em dia na água e para evitar a disputa de ondas, que eu detesto, porque no meu ver 80% dos surfista não sabe estar na água, eu com este tipo de prancha consigo surfar qualquer tipo de onda, mesmo mais pequenas, evito o bicho humano e divirto-me o dobro que me divertia na tradicional shortbord, claro que uma onda em shortboard é melhor do que uma softboard, mas surfar sozinho é igual a pescar sozinho e só o consigo hoje em dia com uma prancha destas.

Um dentolas das ilhas para o forno escalado.

Um dia destes estava a pescar no meu barco a 3 milhas da costa e apareceu esta espécie de tartaruga, que nem sei o nome e se é normal por Portugal, sei que se encostou ao barco e tive que lhe dar um emporraozinho para ela seguir viagem.

A minha praia favorita, muitas horas passei sozinho a surfar aqui à muitos anos, hoje onde é um restaurante, havia um café de madeira com snooker virado para o mar, depois de uma surfada isolado com um ou dois amigos, bebiamos umas sagres com ferrugem na carica geladas como tudo, devido a estarem a semanas ou meses no gelo quietinhas sem serem vendidas , pois não havia bichos humanos por aqui... o sabor dessa cerveja já não existe hoje em dia, imaginem darem um gole numa garrafa de Coca Cola pequena das antigas e vir as lagrimas aos olhos, era esse sabor que tinham estas cervejas.

Bem por hoje já me estiquei na escrita.

Boas fainas.




domingo, 22 de maio de 2022

Chibos da primavera

 Viva pessoal.

Com a chegada da minha altura do ano preferida, altura essa de pescar ilhado e mariscar com muita regularidade, deixo para trás as pescarias de barco, por norma é altura farta de grandes sargos para mim, mas como certezas só há uma na vida, este ano os sargos não apareceram nesta altura em força como é normal, e levar chibatas em ilhas isoladas quase só pescadas por mim, era coisa que nunca me tinha acontecido, é que nem uma safia havia, ahahahahahah.

Não foram uma nem duas vezes e sim meia dúzia, mas é mesmo assim a pesca, pelo menos para mim, já nas pescarias de barco aproveitei para fazer algumas experiências, como pescar aos sargos junto a Costa em dia de mar grande, com caranguejo exatamente como se pesca à Dourada, mas com anzois mais maneirinhos, e os resultados foram bem positivos, onde entraram para o pódio do 2º e 3º lugar dois sargalhões nestas experiências, um com 1800Kg e outro 1700Kg

As douradas compareceram  por vezes, mas também não me livrei de uns valentes chibos, tanto a elas como as minhas amigas lulas.

O amigo Chico Muralhas veio varias vezes a Sines brincar as Douradas, com ele, elas não mamam os caranguejos tão facilmente como a mim, eheheheheh

Volta e meia cravava uns tubos no meio da escuridão.


A pesca embarcada que me deu mais gozo, foi uma pesca onde estive 4 horas a chibatar e a trabalhar, com muitos sacos de caranguejo lançados com o para quedas aos 50 metros de fundo, já quase na hora do gongo, elas entraram a matar e apanhei 10 douradinhas que deram 12 kg, uma pesca bem agradável.


Aquelas lulas de uma dose, fazem uma refeição perfeita, experimentem grelhar uma lula escalada, basta abrir com uma tesoura de cima a baixo e é um estante, combina muito bem com um molho de cebola picadinha , azeite e salsa... mas tem que ser lula de qualidade, da nossa costa.



Fazia muitas marés destas antigamente, no defeso do percebe, aproveito as marés, para apanhar uns polvos e por vezes o almoço com o que encontrar, desta feita saiu este petisco, que maravilha simples.

Acabo com meu 2º maior sargo, peixe que me deu uma luta incrível, foi daqueles peixes que ficas a olhar para ele e a pensar, que não vais apanhar muitos na tua vida, emociono-me e tudo, pois foi em frente a minha praia de infância, onde comecei a ter paixão pelos sargos e apanha-lo ali teve muito significado para mim, respeito muito estes lindos peixes cada vez mais raros deste tamanho.


Boas fainas pessoal