sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Noite escura

Pois é malta, este ano as noites tem estado bem escuras e com boas abertas para a pesca, Janeiro foi um mês de atacar aos prateados, o esforço foi muito, mas os resultados foram fracos, os próximos relatos são do inicio do Ano, sempre com muitas horas em cima de noites escuras e longas, o meu parceiro de pesca Mário é que por vezes faz das suas e este ano tem menos chibos do que eu, ehehehehe, também a apanhar peixes por o rabo e pelo olho, é mais fácil não apanhar chibo.
 Noites calmas, sem vento, mar como gosto, mas...
O Marinho a fazer das suas.

 Eheheheh, de seguida dois peixes assim, como é que ele apanha chibos, eheheheh
 Na praia do Norte em Sines, um fenómeno raro, uma cratera numa duna ai com 10 metros de largura, pensa-se que foi um abatimento de terra, mas o mistério fica no ar...
 Muito sinceramente, já papei mais de 10 chibatas este ano, um robalete de 2kg deixo-me bem contente, este ano são ouro...
Umas postinhas escaladas com batata doce, parece mel:)
 Alguma imaginação neste petisco, para manter a linha não há melhor... saudável, grátis e bom. 
Bem vou me despedir, até o próximo post pessoal e boas fainas.

domingo, 3 de fevereiro de 2019

Noites geladas

Com início do Ano a coincidir com mares calmos e pouco vento, as condições para penar nas noites geladas estavam mais que reunidas para tentar apanhar um robalo.
Lá consegui apanhar o primeiro robalo capaz de ir para casa, um quileiro, melhor que chibo, vai lá vai, estava a ver que não me estreava...
Mas como este ano eles teimam em não dar com as minhas canas, lá tive que molhar o fato outra vez para arranjar uns peixes para a grelha, dias frios solarengos mas que merecem uns peixes na grelha, eu a pensar que as ilhadas tinham acabado, mas com o mar calmo o bicinho foi mais forte.
Não me lembro de tantos dias calmos em pleno inverno, bons para dar umas caminhadas, gosto de dar uma volta aqui pela marina e ver os belos peixinhos que descontraem por aqui, neste dia vi um super polvo ai com 5 kg  a brincar de um lado para o outro, um autentico viveiro esta marina.
Aproveitei e fui a maré para arranjar um polvinho, mas dei com este marisco de luxo, para mim o topo dos petiscos do mar aqui da minha zona.
Esta foto é dedicada ao PJ Marafadeeee que anda muito forte nos petiscos :)
Marzinho bom para os cabeçudos, mas a hora mágica este ano anda atrasada, mas eu não desisto.
 Não saiu robalo, mas saiu este macaco para eu por no forno, melhor que chibo.
Ondas desta que o homem  vai destruir, só um surfista sente a perda e a destruição destas ondas, é aproveitar enquanto ainda existe...
 Com tanta chibo, um dia tive que ir arranjar uns carapaus para comer...
 
Foram assim os primeiros dias de 2019, pouco peixe mas com qualidade, vamos ver se consigo dar com os compridos este ano, senão tenho que voltar a ilha.
Boas fainas e boa semana.


domingo, 13 de janeiro de 2019

Época fria.

Com o Inverno gelado e seco que tem estado, mudei de ramo e comecei a ir a procura dos prateados, até final do ano, perdi a conta aos chibos que papei, considerado chibos a faltas dos robalos, pois as bailas  sargos pequenos, não fazem parte da conta final se não tiverem 500g para cima.
Claro que com a procura dos grandes limita-se no número das capturas ao surfcasting para mim, não sendo um expert neste tipo de pesca, sou um bocado marteleiro, tendo sim alguma sorte nos últimos anos e feito boas capturas, mas claro a sorte faz parte da pesca e com muito trabalho, por vezes engana-se uns robalos pesados.
 
 Já sei que estão fartos de sargos mas tive que ir molhar o fato com este frio para comer uns peixes, o surfcasting tem dado cabo de mim...
 
Aproveitei uma maré e o mar calmo, para fazer um dia daqueles que adoro e que me dá mais prazer na pesca.
Manhã cedo na água e aquele frio de matar da madrugada, com o andar nas poças e pedras a procura dos polvos fazem logo um gajo esquecer o gelo.
3 polvinhos e uns 10 devolvidos por não terem peso mínimo, a juntarem a 2 belas navalheiras, foi o resultado do passeio matinal, claro que trouxe umas iscas das pedras para fazer a enchente aos listados.
O mar era mais do que pensava, coisas do inverno, e tive que me contentar com um espumeiro mais resguardado da ilhota escolhida, devem vocês estar a pensar, belas pedras ali a frente, pois mas parece que dá, mas esqueçam qualquer mar varre aquilo na maré cheia.
Com isca fresca, os sarguetos de dose deram um ar dá sua graça e fiz uns peixes para os dias que se avizinhavam solarengos e com a grelha ligada.
 Comidinha saudável e de qualidade, para acabar e irem de barriga cheia para a cama, vai uma feijoada de lula a minha maneira.
 
Boas fainas.