quarta-feira, 29 de junho de 2016

5 minutos loucos

Viva Pessoal.
Mais uma história de pesca, e ainda dos sargos de arribação da primavera, pesca sofrida para fazer meia dúzia de sargos de meio quilo, muito cansaço no corpo e o dia já estava a dar os últimos raios de sol, quando já conformado com a pesca que tinha, resolvo fazer o ultimo lançamento para cima de um bico de pedra já sem água, no intuito de deixar lá a chumbica e pirar-me.
Bem dito bem feito, abro a alça do carreto como costumo fazer para partir o fio, apanho o mesmo a mão e puxo, para partir a linha, pensava eu que a tinha partido, quando ao recolher o fio a cana bate violentamente, era um belo sargalhão, que com alguma dificuldade veio para seco.
 
Ria Formosa
 
 
Bem fiquei todo contente como é normal, com a mesma isca e cheia de sangue (dizem que eles já não vão lá) há malta que mete logo um anzol novo, eu pesco com a isca com sangue e apanho na mesma, pois neste dia lancei para o lado  oposto da pedra e passado 5 segundos outro macaco lá cravado, este mais pequeno, mas também acima de quilo, pimba em seco.
Nem acreditava depois de um dia intenso com pouco peixe, reforcei a isca e ao terceiro lançamento naquele espaço de tempo, nem deu tempo para esticar a linha, peixe bruto do outro lado e um peso morto e estranho, pensei que fosse um bodião dos grandes e aperto com o peixe, para ver o que vinha ai, pois não estava a espera, uma linda dourada bem maior que os sargos a bater o rabo praticamente a boiar, era só uma pequena vaga para a por em seco, pois tinha o peixe ali ao pé dos pés, aguentei a bicha e quando me preparo para a encostar, ela acorda e dá um arranque, mesmo com o drag bem aberto, partiu-me aquilo tudo, tinha sido os melhores cinco minutos de pesca que eu me lembre se a magana vem para seco.
 
 
Alentejo
 
Bem como a minha segunda casa é o algarve, encontrei o PJ dos Marafados, para o ouvir falar nas matulonas e bebermos uma fresca, deu para ver que já recuperou dos azares, e encontra-se em forma para o verão, isso é que importa :)
 
O rei das matulonas
 
Mais uma volta e fui parar a S. Luzia.
 
Um dia deste fui a ilha apanhar uns belos redondos para a grelha.
 
 
Como já vem sido habitual, nesta altura do ano, não falha os petisco com o amigo Pedro "Lobo do mar", onde me recebe muito bem e esta sempre pronto para dar ao dente.
Aproveitamos para comer só petiscos apanhados por nós com umas bebidas bem geladas, para combater o calor... e por a conversa em dia...
 
Depois de um Martini a Lobo, a mesa está pronta.
Boas fainas.
 
 
 

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Um dia em cheio

Boas pessoal
Dando continuidade as minhas histórias piscatórias, este relato é de mais uma pesca sargueira feita na altura de arribação dos listados.
Com a maré vazia comecei por apanhar um lote de percebe de luxo, daquela qualidade que para mim a considero 5 estrelas e não há melhor neste tipo de marisco, caule e unha vermelha, não muito grande e da grossura de uma rolha, por norma este tipo  de percebe está na base da pedra e não pendurado, e tem constantemente água a correr sobre ele violentamente, o que o faz forte e musculado, ficando assim rijo e com a cor da sua carne praticamente rosa, com um paladar único a mar, muitas das vezes está qualidade é difícil de encontrar.
Depois da escolha dos mesmos, escolhe-se os mais pequenos para iscar e com a subida da maré começa-se a sondar a zona a espera de sinal dos dentuças.
 
 
Com a subida da maré fui apanhando uns sargos espaçadamente, mas tudo bons sargos acima de meio quilo, a pesca ia se compondo como eu tanto gosto, foi dos poucos dias este ano que vi entrar uns sargos em bom número neste pesqueiro de terra, que tantas alegrias e dias memoráveis já me deu.
 
 
 
Ilha do farol, Faro.
 
 
Um dia em cheio, com peixe para grelhar, forno e petisco de luxo para entrada.
 

Com o verão a porta, já se vai fazendo uns dias de praia a maneira, ilha do farol.

 
 Umas das praias mais bonitas aqui da minha zona.

Uma saladinha de ovas de sargo, com uns percebecos, daquela qualidade mais fraquinha, deu um belo lanche.
 
Boas fainas companheiros.
 

domingo, 5 de junho de 2016

Grandes filmes

Boas pessoal.
Desta feita, vou fazer um post um pouco diferente do habitual, 2 pequenos vídeos feitos por 2 cinegrafistas profissionais, mas por motivos  técnicos e para proteger certos habitats naturais as imagens estão um pouco destorcidas, ahahahahhahaha.
O primeira longa metragem, foi feita por o Francisco Muralhas a um ano atrás, quando conseguiu registar uma dourada capturada por mim.
O segundo, uma curta metragem foi mesmo feita por mim, coisa rara, lembrei-me que já tenho um telemóvel com câmara, e vai de filmar, uma sargaria na ilhota, a uns dias atrás, ahahahahha.
 
video
 
Obrigado Francisco;) um dia voltamos lá com o mar mais mansinho.
 
video

Boas fainas